Apesar da crise, 103 milhões de brasileiros devem realizar compras para a Páscoa

Cerca de 103 milhões de pessoas pretendem fazer compras para uma das datas comemorativas mais importantes do calendário. Além dos ovos de chocolate, o cardápio especial do almoço de Páscoa não vai faltar. O levantamento indica que 40% dos consumidores devem gastar o mesmo valor na comparação com o ano passado. O gerente executivo da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, Daniel Sakamoto, destaca que existe disposição, apesar da crise. “Assim como no ano passado, é importante que mantenham todos cuidados de distanciamento social, higienização das mãos, uso de máscara, mas nem por isso é preciso deixar de fazer compras. Então os números mostram que apesar da pequena redução em relação aos números anteriores, ainda são mais de 100 milhões de pessoas que vão fazer compras nesta Páscoa. A gente acredita que é importante para o varejo e para a sociedade.”

A alta da inflação é um dos desafios para montar o cardápio da Páscoa: o bacalhau está, em média, 10% mais caro do que em 2020. O gerente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, Daniel Sakamoto, avalia que o custo de vida, no entanto, não inibe a compra. “Realmente a inflação veio com tudo, ovos de Páscoa, chocolate, estão mais caros, seja por uma questão do dólar, pela escassez da produção. As pessoas acabam gastando mais pelo aumento de preço, mas entendemos que já uma certa compensação no sentido de tantas privações que temos vivido, tantas dificuldades e a Páscoa está vendo como um momento doce, no sentido literal da palavra, para amenizar essa dificuldade”, explica. De acordo com Daniel Sakamoto, 23% apontam entrevistados apontam que estão com o orçamento apertado. Já os que pretendem gastar menos na Páscoa, 32%, citam a intenção de economizar dinheiro.

*Com informações do repórter Thiago Uberreich