Bancada do Amazonas na Câmara quer derrubar decisão que reduz imposto sobre importação de bicicletas

A bancada do Amazonas na Câmara dos Deputados quer derrubar decisão da Câmara de Comércio Exterior (Camex), órgão ligado ao Ministério da Economia, que reduz imposto sobre importação de bicicletas. A medida foi anunciada na noite de quarta-feira, 17, pelo presidente Jair Bolsonaro, e publicada no Diário Oficial da União (DOU) na manhã desta quinta-feira, 18. A diminuição será gradativa: 30%, em março; 25%, em julho; e 20%, em dezembro. Na avaliação de parlamentares, o corte de 35% para 25% por cento, a partir de 1º de julho, inviabiliza a produção na Zona Franca de Manaus. O vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), lamenta a decisão tomada em meio à crise no estado.”Nós vivemos no Amazonas um dos momentos mais críticos da nossa história. Uma crise sanitária sem precedentes com efeitos econômicos gravíssimos”, aponta o parlamentar.

Segundo Ramos, como milhares de amazonenses não estão trabalhando em decorrência da pandemia do coronavírus, a economia do Estado está dependendo dos empregos gerados pelo Polo Industrial de Manaus. O deputado argumenta que a decisão da Camex coloca em risco os postos de emprego oferecidos pela Zona Franca. “A medida simplesmente inviabiliza o Polo de Bicicletas da Zona Franca de Manaus e transfere empregos para a China”, diz o vice-presidente da Casa. O deputado afirmou que a bancada do Amazonas irá apresentar um Decreto Legislativo para proteger os empregos no Amazonas. O senador Omar Aziz (PSD-AM) também já encaminhou uma carta ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Ramos informou que vai se reunir brevemente com o ministro e discutir a redução do imposto de importação na próxima semana. “Nós precisamos agir duramente para proteger a Zona Franca de Manaus, porque isso significa proteger empregos dos amazonenses”, finaliza o deputado.

*Com informações do repórter Thiago Uberreich