Dólar avança com o mau humor nos mercados internacionais; Ibovespa cai

O mau humor dos mercados internacionais com o aumento dos títulos públicos nos Estados Unidos contamina os negócios no Brasil nesta sexta-feira, 12, após um dia de forte recuperação. Por volta das 12h, o dólar caía 0,22%, cotado a R$ 5,555. A moeda norte-americana chegou a bater máxima de R$ 5,589, enquanto a mínima não passou de R$ 5,548. O câmbio fechou a véspera com forte queda de 1,94%, a R$ 5,542, a cotação mais baixa desde o fim de fevereiro. Seguindo a queda das principais Bolsas na Europa e EUA, o Ibovespa, referência da B3, registrava queda de 1,17%, aos 113.642 pontos. O pregão encerrou esta quinta-feira, 11, com avanço de 1,96%, aos 114.893 pontos.

O índice dos títulos públicos norte-americanos, também conhecidos como treasures, bateu 1,6% nesta sexta-feira, gerando temor do aumento da inflação. Ainda na pauta internacional, o democrata Joe Biden sancionou nesta quinta-feira o pacote de US$ 1,9 trilhão para estímulos à economia em meio à pandemia do novo coronavírus. O texto prevê novos pagamentos diretos de US$ 1,4 mil aos contribuintes que ganham menos de US$ 80 mil por ano, mais fundos para os governos estaduais e locais, vacinações e reabertura de escolas.

No cenário doméstico, investidores analisam a queda de 0,2% das vendas do varejo em janeiro, o terceiro mês seguido de retração. O movimento coincide com a redução do auxílio emergencial a partir de outubro do ano passado e o fim dos pagamentos em dezembro. Depois de forte reação no segundo semestre de 2020, o recrudescimento da pandemia da Covid-19 e adoção de novas medidas para restringir o funcionamento do comércio em diversos Estados devem pressionar o setor nos primeiros meses deste ano. Também no noticiário local, a Câmara dos Deputados aprovou em definitivo nesta quinta-feira a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que abre espaço no Orçamento para a retomada do benefício. A proposta deve ser promulgada pelo Congresso no início da próxima semana. O governo federal aguardava a aprovação da medida para encaminhar a medida provisória que oficializa o retorno do auxílio. A expectativa é que o texto seja encaminhado ao Congresso nos próximos dias para que os primeiros pagamentos saiam ainda em março.