Dólar recua com cenário internacional; Bolsa fecha acima dos 124 mil pontos

Os principais indicadores do mercado financeiro brasileiro fecharam no campo positivo nesta segunda-feira, 24, com investidores em todo o mundo analisando a recuperação da economia global e o risco de alta inflacionária, principalmente nos Estados Unidos. O dólar abriu a semana em queda e encerrou o dia com baixa de 0,52%, a R$ 5,325, depois de alcançar a máxima de R$ 5,375 e a mínima de R$ 5,311. O câmbio fechou a semana passada com alta de 1,44%, a R$ 5,353. Seguindo o bom humor dos mercados internacionais e puxado pela alta de quase 25% das ações do Banco Inter, o Ibovespa, referência da Bolsa de Valores brasileira, fechou com alta de 1,17%, aos 124.031 pontos. Este foi o melhor desempenho desde 8 de janeiro, quando o pregão encerrou na máxima histórica de 125.076 pontos.

Mercados em todo o mundo seguiram analisando a sequência de resultados positivos nos EUA, zona do Euro e Reino Unido, renovando o otimismo de recuperação da economia global após o choque do novo coronavírus. Os sinais de melhora, no entanto, também indicam alta da inflação, o que poderia levar ao corte de estímulos monetários. No caso norte-americano, o Banco Central (Fed, na sigla em inglês), havia se comprometido a manter a compra de títulos públicos e a segurar os juros aos níveis mínimos até que os resultados começassem a refletir na criação de empregos e na variação dos preços, previsto apenas para 2023. A alta de 4,2% da inflação em abril, acima do esperado, acendeu um alerta entre os investidores de que essas mudanças poderiam acontecer antes do planejado, apesar de a autoridade monetária ter afirmado que o repique é transitório.

No noticiário doméstico, o Banco Inter anunciou que receberá um aporte de até R$ 2,5 bilhões da companhia de maquinha de cartões Stone. A transação será por meio do lançamento da oferta subsequente de ações, que dará a Stone uma fatia de 4,9% da instituição financeira. O anúncio fez os papéis do Banco Inter dispararem 24,8%. O mercado financeiro revisou as perspectivas de alta para a recuperação da economia brasileira em 2021 e do avanço da inflação. Segundo dados do Boletim Focus, a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou de 3,45% para 3,52%, a quinta revisão seguida. Já o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi estimado em 5,24%, encostando no teto da meta perseguida pelo Banco Central, de 5,25%. A autoridade monetária nacional também divulgou nesta manhã as diretrizes para o lançamento de uma moeda digital oficial. Em nota, o BC afirmou que o projeto está em discussão desde agosto do ano passado e que deve convocar a iniciativa privada para participar dos debates. A moeda digital deverá ser emitida pelo BC como uma extensão do real.