Dólar recua com cenário internacional; Ibovespa volta aos 122 mil pontos

O mercado financeiro brasileiro opera no campo positivo nesta segunda-feira, 17, com a queda do dólar ante a cesta de moedas emergentes e a despeito do clima negativo no cenário internacional com dados abaixo do esperado da economia da China. Na pauta doméstica, analistas seguem acompanhando os desdobramentos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no governo. Por volta das 13h35, o dólar registrava queda de 0,09%, cotado a R$ 5,266 depois de passar a maior parte da manhã em alta e alcançar a máxima de R$ 5,320 e mínima de R$ 5,252. O câmbio encerrou a sexta-feira, 14, com queda de 0,8%, a R$ 5,271. Na semana, a moeda norte-americana acumulou alta de 0,8%, interrompendo seis períodos seguidos de queda. O Ibovespa, referência da B3, registrava alta de 0,14%, aos 122.055 pontos. O principal índice da Bolsa de Valores brasileira fechou a semana passada com avanço de 0,97%, aos 121.880 pontos.

Dados do governo chinês mostraram a alta de 9,8% da produção industrial em abril, na comparação com o mesmo mês de 2020, abaixo do avanço de 14% em março. As vendas do varejo registraram alta de 17,7%, ante previsão de 25% dos analistas e 34,2% do mês anterior. Além da desaceleração da economia chinesa, regiões de Singapura e Taiwan registraram novos surtos do novo coronavírus, gerando mais incertezas para a recuperação da economia global. O índice DXY, que compara o dólar com a cesta de moedas emergentes, recuava 0,12% em meio ao temor dos investidores pelo aumento dos juros da economia norte-americana após a alta da inflação acima do esperado em abril. “A discussão é se os principais Bancos Centrais do mundo estão ‘atrasados’ no movimento de diminuição dos estímulos, aumentando o risco de um processo inflacionário mais persistente à frente”, afirma Paula Zogbi, analista da Rico Investimentos.

No cenário doméstico, a CPI da Covid-19 retoma os trabalhos nesta terça-feira, 18, com o depoimento do ex-chanceler, Ernesto Araújo, enquanto o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, será ouvido pelos senadores na quarta, 19. Na agenda de índices, o Boletim Focus revelou que o mercado financeiro revisou para cima a expectativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 2021 para 3,45%, ante 3,21% na semana passada. A estimativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o medidor oficial da inflação brasileira, também foi alterado para cima, para alta de 5,15%, contra a previsão de 5,06% na edição anterior. O Monitor do PIB da Fundação Getulio Vargas apontou alta de 1,7% da economia no primeiro trimestre, a despeito da queda de 2,1% no mês de março.