Governo federal confirma leilão do 5G ainda no primeiro semestre

O governo federal confirmou nesta sexta-feira, 26, o leilão do 5G ainda no primeiro semestre deste ano e jogou ao mercado eventuais preocupações com a chinesa Huawei. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) propôs a implantação da tecnologia de ponta de redes móveis e de banda larga de forma gradual, com início em julho de 2022. A agência projeta investimentos de até R$ 35 bilhões, sendo que o valor se refere a cálculos preliminares, que não consideram as contrapartidas no leilão. O governo aposta ainda que a mudança para o 5G vai revolucionar as empresas com 100 vezes mais de velocidade de transmissão de dados.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, argumentou que o mercado é competitivo e não há interferência do Planalto. “O governo federal não trata com nenhuma empresa, com nenhum país sobre a participação no leilão. Nós teremos condições de cumprir o prazo e fazer com que o Brasil possa realizar logo o seu leilão. É um marco para o desenvolvimento do país, é o padrão tecnológico mais elevado para os serviços móveis”, disse. Ele classificou como absurda a insinuação de que viajou à China para “barganhar” o 5G em troca de vacinas. O titular das Comunicações acrescenta que a soberania brasileira será preservada, independente de quem vencer o leilão. “Ao longo da viagem, vi muitas matérias que a gente teria ido vender o 5G para a China em troca de vacina. Nós temos que preservar as nossas informações sensíveis e também tirar algo que esteja na imaginação, que podem estar espionando o governo brasileiro.” Fábio Faria esteve na China há duas semanas e tentou amenizar qualquer crise diplomática causada por críticas ao gigante asiático.

O presidente da Anatel, Leonardo de Moraes, destacou que a tecnologia 5G vai chegar aos lugares mais longínquos. “O Brasil tem 5.570 municípios, porém tem mais de 22 mil localidades, são os povoados que integram os municípios. Desses 22 mil, 14 mil localidades não têm cobertura móvel celular. O que queremos é utilizar esse edital para alcançar 14 mil localidades onde residem 6 milhões de brasileiros. Com isso, entendemos que damos uma grande contribuição para a expansão da cobertura de telecomunicações no Brasil”, disse. De acordo com Moraes, outro objetivo é ampliar a cobertura de internet ao longo das estradas brasileiras. O edital do 5G foi aprovado pelo conselho da Anatel e agora será analisado pelo Tribunal de Contas da União.

*Com informações da repórter Camila Yunes