INSS inicia pagamento do 13º salário a aposentados e pensionistas nesta terça

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa a pagar nesta terça-feira, 25, a primeira parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas. O pagamento, que costuma ser feito em julho, foi antecipado mais um ano por causa da pandemia. Aposentada desde 2015, a professora Valdenira Barbosa de Lima conta que também recebeu o dinheiro adiantado no ano passado; nas duas vezes, a quantia fora de hora foi bem vinda. “É um dinheiro que a gente não espera, mas quando vem a gente dá para adiantar algumas dívidas. Planejo acertar algumas dívidas que estão pendentes. E se sobrar alguma coisa vou guardar”, relata. O pagamento antecipado será feito em duas etapas: para aqueles que recebem até um salário mínimo, o primeiro depósito ocorrerá entre os dias 25 de maio e 8 de junho, de acordo com o número final do benefício, sem levar em conta o dígito verificador. Já os segurados com renda mensal acima do salário mínimo terão os primeiros pagamentos creditados entre 1º e 8 de junho. Advogado especializado em Direito Previdenciário, Luiz Almeida relembra que nem todas as pessoas que recebem algum benefício assistencial têm direto ao 13º salário do INSS.

“Quem tem direito a esse 13º salário é quem recebeu aposentadoria, pensão por morte, auxílio doença, auxílio reclusão e auxílio acidente. Os outros benefícios não têm direito, por exemplo, o BPC Loas é um benefício que muita gente recebe e confunde com aposentadoria, mas tem esse diferencial aí”, afirma. O economista Gilberto Braga dá dicas de como gastar esse dinheiro de forma consciente. “Prioritariamente fazer acordos de pagar as dívidas, aquelas que têm juros mais elevados, tentar limpar o nome e recuperar o crédito. Tentar colocar a alimentação em ordem também, reforçando os gastos com a família e lembrando que esse 13º está sendo antecipado. Portanto, quem puder guardar um pouco para a época do período natalino, para ter uma poupança para gastar com as festas”, disse. De acordo com o Ministério da Economia, a medida vai injetar cerca de R$ 50 bilhões no país, favorecendo o processo de recuperação. A pasta afirma que a antecipação do abono não prejudicará o orçamento, já que não haverá acréscimo nas despesas previstas para este ano.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini