Mercado de TI projeta criar 70 mil vagas de emprego em 2021

A jovem Ana Carolina Gomes, de 19 anos, terminou o ensino médio e optou por fazer um curso profissionalizante de desenvolvimento tecnológico. Em dezembro do ano passado, ela foi contratada como programadora em uma empresa de soluções didáticas e garantiu uma das 50 mil vagas criadas no setor no ano passado. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, serão criados 70 mil novos empregos para o segmento em 2021. Ana conta que escolheu trabalhar na área da educação e acredita que as oportunidades em TI cresceram pelo número insuficiente de candidatos que preencham os requisitos. “É uma coisa que acontece muito na empresa, tem até um certo receio de perder as pessoas, as pessoas desenvolvedoras porque a rotatividade é muito alta. Tem muita gente interessada, mas, apesar do interesse, não tem que a quantidade necessária para suprir o mercado. Então está em grande crescimento, precisando de mais gente.”

Para o empreendedor Matheus Goyas, um dos criadores da Trybe, uma escola que prepara alunos recém formados para o mercado de tecnologia da informação, a pandemia foi um dos motivos para acelerar o processo de contratação e investimento das empresas. “Transformação digital é feita com investimento em gente, não é comprando ativos industriais. Então as empresas começaram a contratar mais pessoas para fazer a digitalização, o que colocou mais a necessidade de mão de obra especializada para essa transformação. Outro ponto que acelerou essa necessidade foi que, com a a expansão do trabalho remoto, muitas empresas que não são brasileiras começaram a contratar pessoas do Brasil”, avaliou. A função de desenvolvedor é uma das mais requisitadas. A procura por este cargo, segundo levantamento da empresa de recrutamento Robert Walters, disparou 169% em 2020. No Brasil, sobram entre 11 mil e 19 mil vagas para desenvolvedores e engenheiros de software.

*Com informações do repórter Victor Moraes