Na véspera da saída de Castello Branco, Petrobras tem debandada de diretores

Quatro diretores da Petrobras anunciaram na noite de quarta-feira, 24, que pretendem deixar a companhia junto com o ainda presidente Roberto Castello Branco. O mandato de Castello Branco venceu no último dia 20, mas ele aceitou ficar mais alguns dias até que o general Joaquim Silva e Luna tenha o nome aprovado para comandar a empresa. Uma assembleia extraordinária está marcada para o próximo dia 12 de abril para apreciar e, provavelmente, aprovar o nome de Joaquim Silva e Luna para o conselho da estatal. Em seguida, o conselho irá indicar o nome do general da reserva para comandar a companhia.

Estão deixando a Petrobras a diretora financeira, Andreia Almeida, o diretor de logística, André Chiarini, o diretor de produção e exploração, cabo Carlos Alberto Pereira, e o diretor de produção, Rudimar Lorenzatto. Três diretor, em princípio, permanecem na empresa. Essa semana, inclusive, o general Joaquim Silva e Luna já tinha adiantado à Jovem Pan que pelo menos dois diretores iriam deixar a empresa. O novo presidente disse ainda que não vai ceder a eventuais pressões políticas para preenchimento de cargos na alta cúpula da empresa. Agora, são quatro vagas importantes disponíveis. Ele assegura que a prata da casa será valorizada nessas e em outras indicações. A Petrobras anunciou, na quarta, a venda da Refinaria Landulpho Alves (Rlam), refinaria na Bahia, uma das mais antigas do parque da estatal. A refinaria foi vendida por mais de US$ 1,6 bilhões, algo em torno de R$ 9 bilhões.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga