PIB de SP cresce 0,4% em 2020 e Doria prevê ganhos para o comércio no Natal com vacina

O Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de São Paulo avançou em 2020, mesmo diante da pandemia. O resultado positivo é de 0,4% — inferior ao registrado em 2019, um crescimento de 2,5%. O secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, comparou o desempenho com resultados negativos de outros países e com o PIB brasileiro que fechou o ano em queda de 4,1%. “Enfrentamos a pandemia, São Paulo caiu menos do que a média brasileira. E terminou o ano com um crescimento positivo.”

A recuperação foi alavancada pelo setor Serviço e Tecnologia, que cresceu quase 2%. O destaque fica por conta da Construção Civil, das Atividades Imobiliárias Tecnologia da Informação e da Comunicação. Já Agropecuária e Indústria fecharam em queda. O governo credita o resultado final aos programas de privatização com concessão de rodovias, ferrovias, parques e ao forte investimento no segmento de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Segundo a secretaria de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, ações de apoio ao empreendedorismo também contribuíram. “Nós tivemos o melhor saldo de abertura de empresas do Estado de São Paulo desde 2013, um número recorde de abertura de empresas de 224.153 empresas abertas em 2020.” Ainda de acordo com a secretária, isso impactou na geração de empregos. Hoje, mais da metade das vagas geradas no Estado são de micro e pequenos empreendedores. O saldo final de 2020 porém foi negativo: pouco mais de mil postos fechados.

Para 2021 a perspectiva é positiva, de crescimento na casa de 5% — porém é consenso que tudo irá depender do ritmo da vacinação no Estado de São Paulo e também no Brasil. O governador João Doria garantiu condições para que a vacinação corra bem em São Paulo e projetou um dezembro com boas vendas para o comércio. “Nós poderemos ter, que tudo indica, um Natal extremamente robusto de vendas para o comércio varejista em todo o o Brasil e em São Paulo. Se formos bom na economia, nós ajudamos o Brasil a ir bem na economia.”

*Com informações da repórter Carolina Abelin