Preço dos ovos de Páscoa pode variar até 90%, aponta pesquisa do Procon

A advogada Natalia Zavatta ajuda a comprar ovos de Páscoa para as seis crianças da família todos os anos. Mas, nesse ano, com o aumento no preços, ela gastou mais o menos R$ 300 nessa brincadeira. Natalia conta que gostaria de ter ajudado os pequenos produtores, mas não sobrou dinheiro. “Ano passado nós gastamos, em média, R$ 200 para presentear toda a família. Neste ano, fomos comprar a mesma quantidade de ovos, do mesmo tamanho, e gastamos R$ 300. É um valor muito impactante no orçamento de uma família para gastar com chocolates. Se esse aumento de preços se mantiver vai tornar impossível a manutenção dessa tradição de entrega de ovos de Páscoa.”

O Procon fez um levantamento de 96 itens entre caixa de bombons, ovos e tabletes de chocolate em nove sites de vendas, entre os dias 24 e 26 de fevereiro. Segundo o diretor-executivo do órgão, Fernando Capez, o preço de um mesmo ovo pode variar até 90%. “No tablete de chocolate, em determinadas marcas, tinha diferença de quase 100%. Você para R$5 ou R$10 no mesmo produto. No ovo de Páscoa você chega a ter 90% de diferença, você comprou o mesmo ovo, com a mesma marca. É preciso, para não sofrer um prejuízo, fazer uma pesquisa comparativa de preços ainda que sem sair de casa”, disse. A Páscoa será o primeiro feriado nacional a ser comemorado pela segunda vez durante a pandemia. De acordo com um levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates e Balas, cerca de 12 mil postos de trabalho temporários, diretos e indiretos, foram gerados esse ano.

*Com informações do repórter Victor Moraes