Rodrigo Pacheco quer votar orçamento de 2021 até março

O novo presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, pretende votar o Orçamento Federal de 2021 até março. Enquanto o texto, que deveria ter sido aprovado no ano passado, não for analisado pelo Congresso Nacional, o Executivo só tem acesso a um doze avos dos recursos previstos no projeto por mês. A ideia de Pacheco é instalar a Comissão Mista de Orçamento nos próximos dias. “Nós vamos sentar, eu e o deputado Arthur Lira, para definirmos o formato disso. O fato é que será uma comissão de existência muito rápida, vamos buscar aprovação até o mês de março para depois instalar outra na sequência”, disse.

O senador quer agilizar a tramitação das pautas consideradas essenciais para garantir a recuperação econômica do país. Para isso, ele pretende se reunir nos próximos dias com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, com o presidente da república, Jair Bolsonaro, e com a equipe econômica do governo federal.  O objetivo é alinhar as estratégias comuns e encontrar caminhos para o que chamou de compatibilização da responsabilidade fiscal com a assistência social. “Então nós teremos uma agenda essa semana um pouco intensa, mas vamos buscar esse encontro com o presidente da República, vamos buscar encontro com a equipe econômica do ministro e com o próprio ministro Paulo Guedes para alinhar todas as expectativas que se tem sobre a pauta econômica do Brasil.”

Apesar do empenho de Rodrigo Pacheco, alguns parlamentares acreditam que o Congresso Nacional só deve conseguir avançar em pautas importantes e polêmicas após a pandemia ser controlada. Para o senador Veneziano Vital do Rêgo, a avaliação é que matérias como as reformas não podem ser discutidas e aprovadas em sessões virtuais ou semi-presenciais. “Dificilmente você consegue fazer o melhor debate, até para que produzamos o melhor texto, de forma remota. Não há como pretender que se dê desta forma”, avaliou. Apesar da indefinição sobre quando o Congresso poderá retomar a rotina anterior à pandemia, o presidente do Senado quer deixar tudo preparado, definindo os nomes que presidirão as comissões permanentes da Casa até a semana que vem.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado