Marco Antonio Carbonari explica qual a diferença entre champanhe, espumante e frisante

Não são apenas os vinhos que possuem especificidades que nos permite classificá-los, Marco Antonio Carbonari, produtor e especialista, nos explica que os espumantes também são divididos por tipos e estilos. Essas diferenças são também consideradas a partir do método de elaboração, o local onde a bebida foi produzida e até o resíduo de açúcar encontrado na garrafa.

Vale ressaltar que os espumantes também são vinhos e que todo champagne é espumante, mas nem todo espumante é champanhe, vem ver a explicação:

Para um vinho ser considerado espumante, ele deve conter gás carbônico (aquele elemento que cria as borbulhas tão características). Chamamos o champanhe apenas o vinho espumante produzido na França. Sendo assim, os produzidos no Brasil são apenas os espumantes, sendo então a grande diferença entre eles, apenas a questão geográfica.

Ou seja, se você estiver bebendo um champanhe que não foi produzido na França, você na verdade está bebendo um espumante.

Já a grande diferença entre o espumante e os frisantes, Marco Antonio Carbonari nos conta que é o fator da quantidade de gás carbônico na bebida, tendo o frisante apenas metade do encontrado no espumante.

Marco Antonio Carbonari explica também que há uma legislação que regula os diferentes espumantes no Brasil:

VINHOS FRISANTE: Possui teor alcoólico em cerca de 7 a 14% e conteúdo carbônico de 1.1 até 2 atmosfera de pressão a 20ºC.

VINHO GASEIFICADO: Teor alcoólico em cerca de 7 a 14% pressão 2,1 e 3,9 atmosfera a 20ºC.

VINHOS ESPUMANTES NATURAIS: Consiste em sua fermentação em recipientes fechados com pressão mínima de 4 atmosfera a 20º.

ESPUMANTE ESPUMOSO NATURAL: Anidrido carbônico vem de sua segunda fermentação alcoólica, pressão mínima de 4 atmosferas a 20º e teor alcoólico de 10 a 13%.

MOSCATO ESPUMANTE / MOSCATEL ESPUMANTE: Resultante na fermentação em recipientes fechados do mosto de uva Moscatel ou Moscato. Tem teor alcoólico entre 7 a 10%, açúcar natural de 20 gramas por litro e pressão mínima de 4 atmosferas a 20ºC.

Marco Antonio Carbonari finaliza convidando-os à vinícola Villa Santa Maria (localizada no Vale do Baú em São Paulo) para experimentar as deliciosas bebidas lá produzidas. Agende uma visita pelo WhatsApp: (12) 9 9746-6298.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui