Com moderação de discurso de ódio, aplicativo Parler voltará para loja da Apple

Três meses após ser banido, o aplicativo Parler irá retornar à App Store, loja de aplicativos para iPhones e iPads. O retorno do aplicativo só será concretizado quando a ferramenta for atualizada e corrigir problemas como vazamento de dados dos usuários e moderação de conteúdos que contenham discurso de ódio. A informação foi confirmada pelo congressista republicano Ken Buck, que publicou uma carta da Apple explicando as políticas da marca que foram violadas pelo aplicativo e que causaram a remoção do Parler da App Store. Segundo Buck, o banimento significa uma tentativa de censura da população e dizendo que o retorno do Parler representava uma “grande vitória para a liberdade de expressão”. Apesar de ter tido seu retorno confirmado, o aplicativo não informou ou deu detalhes sobre quais modificações foram feitas.

O anúncio do banimento do aplicativo da App Store veio em janeiro logo após o Google suspender o Parler de sua loja alegando que a ferramenta não fornecia a moderação de conteúdos exigida aos aplicativos disponibilizados. A Amazon tomou uma decisão semelhante. Na época, o Parler se posicionava como uma alternativa à plataformas maiores, com regras que não proibiam discursos de ódio e divulgação de informações falsas. Spams, ameaças de violência e outras atividades eram proibidas pelo aplicativo.